quinta-feira, 30 de junho de 2011

30/03- Aula 4: revestimentos parede, piso e teto

REVESTIMENTOS
REVESTIMENTOS PAREDES
As alvenarias de tijolos prensados ou furados, de blocos de concreto devem receber um chapisco de cimento e areia com os objetivos de regularização, proteção contra intempéries, aumento da resistência ao choque, melhorias das condições acústicas, térmicas, de impermeabilidade e de higiene.
È importantes lembrar que os cuidados numa parede externa deverão ser maiores que nas internas, excluindo-se a regularização, que de uma maneira geral devem ser mais perfeitos para uma parede interna.

Argamassas: cimento + areia + água + outro material (cal, saibro, barro, caulim, etc).
As argamassas são maleáveis nas primeiras horas e endurecem com o tempo, ganhando elevada resistência e durabilidade. Elas são utilizadas no assentamento de tijolos e blocos, azulejos, ladrilhos, cerâmicas e tacos, servem também para impermeabilizar superfícies, regularizar (tapar buracos, eliminar ondulações, nivelar e aprumar) paredes, pisos e tetos, para  dar acabamento às superfícies (liso, áspero, rugoso, etc).
Vale ressaltar que quanto maior a plasticidade das argamassas na hora do uso, maior será a sua aderência: grande vantagem em certas aplicações. Para aumentar a plasticidade, é adicionado CAL, saibro, barro, caulim ou outros, dependendo da região.

Tipos de argamassa
*Segundo a sua finalidade: para assentamento (usadas para unir blocos/ tijolos das alvenarias); para revestimento (utilizadas para diversas finalidades).

a)  Chapisco: é utilizada para aumentar a rugosidade, permitindo melhores condições para a fixação do outro elemento. Também utilizado como revestimento de acabamento (Ex.: muros de residências menos favorecidas). Para a aplicação é aconselhável a molhagem prévia da parede para evitar que a água necessária à reação química do cimento na argamassa seja absorvida pelo tijolo. O chapisco é uma argamassa bastante fluída de cimento e areia, podendo, receber agregados graúdos (pedrisco). Mas para revestimento final o chapisco apresenta o sério inconveniente: tem mau aspecto, além da deposição de poeiras em suas superfícies.
b)   Emboço (massa grossa): camada de argamassa, na espessura normalmente de 2,10 cm, que serve para a regularização do prumo e do alinhamento das paredes.
c)   Reboco (massa fina): é a camada de argamassa, com espessura aproximada de 0,5 cm, feita de areia peneirada e cal ou cimento que é aplicada sobre o emboço para corrigir as irregularidades do emboço.
d)  Gesso comum: revestimento que só pode ser aplicado em parede internas e naquelas não sujeitas a umidade.
Aplicação do revestimento de gesso diretamente na alvenaria no edifício Villaggio di Roma.
Arquivo pessoal

e)  Rebocos pré-misturados : podem ser devários tipos: misturas de cimento portland, cimento branco, cal, impermeabilizantes, corantes, quartzo, etc.,que pela adição de água, constituem-se em argamassas. Os produtos constantes das misturas variam, em função do aspecto decorativo que se desejar.

Revestimentos argamassados
*Pastilhas de porcelana: são comprads em painéis de aproximadamente 32 x 64 cm, com sua face externa colada em papel resistente.
                                                          

*Azulejos: é um revestimento de uso generalizado, pelas qualidades decorativas e, por ter superfície impermeável e de fácil limpeza. São encontrados no mercado em várias cores, decorados, em ampla variedade de desenho, nas dimensões de 10 x 10 cm; 15 x 15 cm e 20 x 20 cm e acabamentos nos cantos de aresta viva, bisotados e boleados. Segundo a posição das juntas os azulejos podem ser colocados com juntas: à prumo; de amarração ou diagonal.


*Pedras naturais: são bons materiais pois fornecem às paredes excelente aspecto decorativo, além de protegê-las da umidade. As pedras podem ser aplicadas com formato irregular ou serem aparelhadas.
                                                             


Revestimentos colados
Os tipos mais usuais são: chapas vinílicas, laminados melamínicos, papel, alcatifa, tecidos, vidros e adesivos.

Revestimentos pregados
Madeira: na variedade de formas encontradas no mercado(maciça, aglomerada, laminada, etc.) é bastante usada para revestimentos internos. Tipos de madeiras maciças: Ipê, Sucupira, Mogno, Louro, Jacarandá ,etc.. Mas inúmeras são as padronagens de foleados naturais e précompostos, tais revestimentos são denominados de LAMBRIS.
                                                                               


Observações importantes !!!!
*Para cada caso usa-se uma argamassa diferente :a NBR 14081: classifica os tipos de argamassa colante, e as mesmas variam (com o tempo em aberto, a resistência de aderência à tração e o deslizamento, estando vinculada à indicação do local de utilização e ao desempenho desejado).
Revestimento interior: AC-I; revestimento interior e exterior: AC-II e AC-III mesma aplicação que a AC-II, só que com resistência superior.

*Antes de especificar, fique atento aos seguintes detalhes: observar locais e uso (interno, externo, piso ou parede); o tipo de material cerâmico que será empregado (dimensões; absorção de água e composição); verificar o uso do ambiente (garagem, sala, banheiro, piscina etc.); observar a forma de preparo do material; utilizar ferramentas adequadas para aplicação do produto; se a aplicação for em fachadas deve-se verificar se há ou não incidência de ventos e insolação; e por fim contratar uma mão-de-obra capacitação para tal aplicação.


                 PAVIMENTAÇÃO ou REVESTIMENTO DE PISO

O piso é qualquer superfície, contínua ou descontínua, construída com a finalidade de permitir o trânsito pesado ou leve.

Escolha adequada
Deve-se considerar: a adequação ao uso; resistência ao desgaste; atrito necessário ao trânsito; higiene; facilidade de manutenção; estética; ser econômico; não provocar ruído ao trânsito.

Classificação e aplicação
*Quanto ao material:

a)Pisos de madeira (assoalho e taco): piso executado com tábuas corridas de madeira (Ipê ou Peroba) justapostas por encaixe tipo macho e fêmea. As tábuas devem apresentar superfície aplainada e lixada, e ter bitola uniforme. As dimensões usuais são: largura: de 10 cm a 20 cm; comprimento: de 2,5 m a 5,5 m e espessura: 18 mm.


b) Pisos cerâmicos: são ladrilhos prensados fabricados com argilas, com a face exposta vidrada ou não, e determinadas propriedades físicas. Podem ser piso cerâmico não vidrado (produto composto por matériais cerâmicos,
cujo corpo apresenta composição, cor, textura e características determinadas pelas matérias primas e processos de fabricação utilizados); ou piso cerâmico vidrado (possui uma camada de vidro impermeável, composta por uma camada de materiais cerâmicos fundidos sobre toda a face exposta). Quanto menor o grau de absorção, melhor será a qualidade da placa. Outro aspecto a ser observado é a resistência à abrasão (representa a resistência ao desgaste superficial causado pelo movimento de pessoas e objetos).
                                                         
Piso do Edifício Villaggio di Roma
Arquivo pessoal

c) Ladrilhos hidráulicos: são fabricados com cimento e areia, prensados, planos, com arestas vivas, cores firmes e uniformes, desempenados e isentos de umidade. Apresentam acabamento liso para uso em áreas cobertas e com relevo, para áreas descobertas. São resistentes ao desgaste e à abrasão. As dimensões mais usuais: 20 x 20 cm, com espessura de 2 cm. O ladrilho hidráulico é muito utilizado nos passeios públicos e calçadas. O assentamento é realizado sobre camada de argamassa convencional (2 cm de espessura), tendo como base contra piso de concreto simples ou metralha. Os ladrilhos são assentados, batendo um a um, com o cabo da colher ou do martelo, verificando-se o alinhamento entre fiadas. As juntas, que não poderão ser de largura superior a 1,50 cm, serão posteriormente preenchidas, com pasta de cimento.

d) Pedras naturais (granito, mármore e arenitos);
                                  http://www.construtoraprojetar.com/news/marmores-e-granitos/

e) Pedras artificiais : granilite (piso geralmente polido, com juntas de dilatação, moldado in loco, sobre à base de cimento com agregado triturado(granilha) e areia/ baixo custo) e marmorite (piso semelhante ao Granilite, tendo como única diferença a utilização de granilhas de mármore, tendo, consequentemente uma menor resistência à abrasão.
                         
                                                                       
                       http://www.neroportoro.com.br/projetos.asp?codProjeto=11

f)  Piso cimentado: piso executado com argamassa de cimento e areia, com acabamento áspero ou liso, bastante utilizado em construções populares ou em áreas externas.
                                                   
                                                   
    
                                                 
                                                                    
 Base

As pavimentações podem ser executadas sobre 02 tipos de base: soloe lajes (concreto armado).Se a base for o solo: deve se ter cuidado com a impermeabilização da elevação, a compactação do aterro interno, e a construção do contra piso ou lastro de regularização. Antes, deve-se executar a rede de esgoto do piso térreo, e a impermeabilização da fundação, com pelo menos 20 cm. Segue-se a regularização do aterro interno (apiloamento), e a execução de um lastro de concreto simples, contra piso (de 6 cm). Quando a base é de concreto armado/ laje: não existe necessidade de execução de contra piso, somente a regularização e nivelamento da superfície, com utilização de argamassa de cimento e areia no traço 1:4, espessura de 3 cm.


                                                 FORROS

A principal função é revestir o teto das edificações de forma a deixá-los mais agradáveis e estéticos, auxiliando também no isolamento acústico e térmico.

Tipos mais usuais:
*Forro de gesso: consiste na colocação de placas de formato 60 x 60 cm, com encaixe macho-fêmea, penduradas com arame galvanizado e chumbadas com sisal. Cada gesseiro juntamente com seu ajudante conseguem executar de 20 a 30 m2 de forro liso em uma jornada diária de trabalho.
                                                                  
Forro de gesso do edifício Diego Riviera
Arquivo pessoal

*Forro de PVC: é um forro que pode ser rígido ou flexível, ambos compostos por painéis lineares, que encaixam entre si pelo sistema macho–fêmea, não aparecendo emendas (devido as ranhuras existentes). Apresenta baixo peso e, consequentemente, facilidade de transporte e manuseio e aplicação simples e rápida com grampos ou parafusos sobre o tarugamento. A estrutura de suporte pode ser em madeira ou metálica.  O forro apresenta fácil manutenção, podendo a limpeza da face aparente ser realizada com água e sabão, ou detergente doméstico, ou álcool.
                                                                    

*Forro de madeira: é um forro que possui instalação semelhante ao assentamento de um piso, portanto necessita de vigas de madeira, contraventamento e tarugamento. As réguas de madeira são dotadas de encaixe macho-fêmea. Entre os tipos de madeira mais usuais estão o Ipê, o Jatobá e o Cedrinho.



*Forro metálico: é um forro compostos por painéis ou bandejas. É mais utilizado em grandes construções: aeroportos, hospitais, supermercados e postos de gasolina. Se for aplicada lã de vidro sob o painel, obtém-se uma melhoria na absorção acústica. Pode ser aplicado sob laje de concreto ou estrutura de telhado. A estrutura de sustentação, em aço ou alumínio, é composta por pendurais reguláveis, cantoneiras e perfis de PVC.

                                                           
                                              
                                                         
                                                  
                                                                










                                    Piso de mosaico português

g)  Paralelepípedo: é um piso feito sobre camada de areia, colocada no terreno previamente compactado. As juntas entre os vários blocos são preenchidas com argamassa de cimento e areia ou com areia e tomadas com asfalto misturado com areia grossa.

                                  Outros pisos

                    
                                       Piso de pedra natural
                                                      
    
                                                             
                                        Piso de placas de concreto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário